O direito de exercer a liberdade de aquisição, porte e uso de um armamento é um princípio defendido por quem é apaixonado pelo mundo das armas no Brasil e espera ver mais avanços para usufruir esse direito individual.

Esse conceito de liberdade se amplia à valorização da cidadania, defesa da propriedade privada, da própria vida e da família.

Defendendo esses princípios, a SHOT FAIR BRASIL, feira comercial voltada para quem é apaixonado por armas, também é um evento de defesa ao uso da arma pelo cidadão, sem burocracias a esse acesso. Além do direito da liberdade, há também o respeito pela grandeza de um mercado que gera renda e empregos para o bem do Brasil.

Conforme dados da Associação Nacional da Indústria de Armas e Munições (ANIAM), esse segmento emprega mais de 60 mil pessoas, registra anualmente faturamento de cerca de R$ 3,5 bilhões e recolhe aproximadamente R$ 500 milhões em impostos por ano. Do total da produção do setor no país, um montante estimado em R$ 1,5 bilhão refere-se às exportações.

O advogado Marcos Pollon é um dos idealizadores do Movimento Pró Armas, que luta para assegurar o direito do cidadão a se armar, sem entraves burocráticos, é uma das atrações da SHOT FAIR BRASIL.

Na sexta-feira, dia 20 de agosto, às 19h30 ele vai moderar um painel com os deputados federais Rogério Peninha (SC), Caroline de Toni (SC), Coronel Armando (SC), o deputado estadual Ruy Irigaray (RS), o empresário José Augusto Schincariol, da Base Armalite, e o diretor internacional de vendas da Springfield Armory, Luiz Horta, o Tatai. Eles vão falar sobre “O Uso de Armas no Brasil: Contexto Econômico e Político”.

No sábado, dia 21, as 11 horas, Pollon vai ministrar a palestra “Não é sobre armas, é sobre Liberdade!”, quando vai reforçar as bases de defesa do direito de termos uma população armada.

Em suas declarações de defesa ao armamento, o advogado ressalta que a reação de quem compra uma arma não é mais de uma pessoa que terceiriza a defesa da sua vida e família. Segundo ele, o cidadão armado não se torna vulnerável.

“Todos os regimes totalitários usaram do desarmamento para escravizar a população. O desarmamento serve para enfraquecer a soberania um país. Uma nação desarmada é uma nação escravizada. Quando é tirado do cidadão a possibilidade de reagir a uma agressão, a um ataque contra a sua família, a sociedade perde a capacidade de se indignar contra injustiças. Por isso defendemos o direito de termos essa liberdade de estarmos armados”, destaca Pollon em seus posicionamentos no Movimento Pro Armas e que serão ecoados na SHOT FAIR BRASIL.

A SHOT FAIR BRASIL acontece entre os dias 19 e 21 de agosto, na Expoville, e Joinville (SC). Confirma a programação de palestras no site https://shotfairbrasil.com.br/programacao/

O evento tem o patrocínio master da ASCGuns, CBC, Springfield Armory e Taurus (cota Calibre .50BMG), Cervejaria ANBIER, Glock, Hangar 33 e Morigi Bullets (Calibre 5.56), Dr. Fedder, 3 Gun Nation Brasil e CATE Valenti (cota 9MM).  A realização é da Planeventos Eventos Corporativos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *